- Trama: Acampamento de Outono -

    Compartilhe
    avatar
    Aria Montgomery
    Rank Aria
    Rank Aria

    Mensagens : 262
    Data de inscrição : 26/01/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro:

    - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Aria Montgomery em Ter Nov 06, 2012 8:46 pm

    Parecia que, quanto mais você desejasse que o tempo passasse para que aquilo chegasse logo, mais tudo demorava e complicava a sua vida. Aumentava a ansiedade. Você olhava para as malas a espera de que o fim de semana chegasse logo.

    E, bem, chegou! A escola havia cobrado uma taxa de duzentos dólares para os alunos que quisessem passar um sábado e um domingo "educativos" num Acampamento do Rosewood Day para entrar em contato com a natureza, ver a bela praia, passar um tempo com os amigos e interagir, era como se fosse uma campanha "anti-bullying" para que os colegas se enturmassem e não deixassem ninguém de fora. Talvez os estudantes que estivessem a caminho de lá fossem apenas pelas bebidas alcoólicas, para se pegarem ou simplesmente ficar longe dos pais. Seria simplesmente ótimo.

    No sábado de manhã, às dez horas, todos os presentes deveriam se encontrar na escola com suas malas e outros pertences. Seriam levados pelo ônibus para o local onde estariam a equipe organizadora. No local haviam muitas árvores também, algumas verdes, outras avermelhadas por conta da estação do ano. O clima estava perfeito no sábado: Sol, mas não um sol de queimar a pele, mas bonito, iluminando o céu e proporcionando um dia perfeito para banhar-se no mar.

    Lá também havia uma casa para quem quisesse ficar, mas alguns aventureiros preferiram montar barracas na areia para dividir com os amigos e ter mais liberdade, até porque na casa tem horário de recolher e é lá onde os professores dormirão, precisando de silêncio.

    E dizem também que haverá uma festa...


    REGRAS!!
    - -A irá narrar! Apesar de o primeiro post ter sido feito por mim (Aria), as narrações serão feitas por -A. Quando ela postar aqui, SIGAM A POSTAGEM DELA.
    - -A terá total liberdade para mandar mensagens para vocês. Vocês terão que postá-las aqui. Caso contrário, haverá punições.
    - Por favor, não façam nada extremamente pornográfico. '-'
    - Não há data determinada para o fim da trama, não deixem de postar!
    - Enjoy it! xoxo


    ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●


    aria montgomery
    admin -- tramp -- love mah bitches xx
    avatar
    Joshua N. Mason
    Rosewood Sharks
    Rosewood Sharks

    Mensagens : 91
    Data de inscrição : 11/06/2012
    Idade : 22
    Localização : Numa mesa de bar qn

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Joshua N. Mason em Ter Nov 06, 2012 10:10 pm







    fuck the police






    Pois é, finalmente eu teria descanso. Ou não, né. Mas, sei lá, meus pais estavam enchendo a minha paciência, assim como o treinador do time. Eu amava Annie, mas os pais dela também estavam me fazendo de escravo. Tudo bem, eu poderia voltar quebradão do acampamento, mas pelo menos eu poderia fazer o que eu quisesse. Eu acho.

    Ah! Eu havia ganhado um presentinho. Um Maserati Spyder vermelho, novo, que agora eu considerava o meu pertence mais importante. Ninguém, repito, ninguém toca nele. Claro que antes eu faria questão de me exibir com ele na escola, deixá-lo guardado (porque eu posso) antes de entrar no ônibus para ir pro acampamento com os caras. E as garotas. Sim, as garotas, e essa é a melhor parte.

    Joguei minha mochila no banco do passageiro e coloquei os fones de ouvido, Sweet Child O'Mine no volume mais alto (eu havia recebido uma multa por escutar música alta na rua, é possível que isso aconteça? Que idiotice) e uma mensagem no meu celular me lembrou que eu tinha que passar na casa deles antes, como se eu fosse um taxista, né. A casa do Leon era mais perto da minha, fui lá antes. Saí do carro sem trancá-lo, batendo na campainha logo em seguida. Uma mulher bonita, morena, talvez com uns 40 anos, por aí, abriu a porta. Sorri de canto.

    - Você é o Mason? - Perguntou a sra. Wright com uma cara estranha. Fiz que sim com a cabeça. A mãe gata do Leon revirou os olhos e foi chamá-lo. Ela o chamou de Thomas. Parecia tão estranho.

    - E então? - Leon mau-humorado perguntou. Eu cutuquei a cara dele e recebi um tapa na mão. Dei tchau pra sra. Wright e entramos no carro, com Leon dizendo algo do tipo "para de secar a minha mãe" e eu falei algo como "ela é gata", como se o idiotão não soubesse de quem eu gostava. Dirigi para a casa dos Bennet, porque ele também queria ir no meu Maserati. Apesar de terem apenas 2 lugares, ele se espremeria na parte de trás. Quando apertei a buzina, Henry já apareceu, então eu não tive a oportunidade de ver sua mãe (ok, chega).

    - Vamos estão, marmanjos. - Coloquei os óculos escuros e pisei no acelerador. Quando chegamos na escola, haviam tantas pessoas que eu não consegui ver justo quem eu queria. Deixei meu carro no estacionamento dos professores, e se houvesse um mísero arranhão na minha volta, cabeças iriam rolar. Entrei no ônibus com a mochila nas costas e fiquei escutando música, torcendo pra chegar logo. Longas viagens me deixam entediado.



    forum ops - KAGUYA HIME
    avatar
    Jasmine E. Williams

    Mensagens : 200
    Data de inscrição : 25/10/2012
    Idade : 21
    Localização : tua cama,serve?

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro:

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Jasmine E. Williams em Qua Nov 07, 2012 5:09 pm







    They don't know about the up all night's.




    Depois de sair do shopping –arrastada – tão rápido ontem, não conseguimos comprar porcaria de roupa nenhuma. Chegamos em casa logo arrumando as malas e eu não vi o Doug,é meus pais devem tê-lo expulsado de casa,que legal.


    No dia seguinte, a minha querida mãezinha me acordou cedo pra caramba, para o bendito acampamento, ô vida.


    Durante o banho, eu só ouvia o barulho de Eleanor cantando em seu chuveiro e a minha vontade era de filmar aquilo e colocar na internet, ela tinha talento e tudo mais. Mas, o problema é que era muito engraçado o jeito esganiçado que ela cantava no banho. Corri para me arrumar da forma mais ‘normal’ possível e desci para esperar a dona Eleanor, Charlotte já estava pronta e só estava nos esperando para irmos direto para o colégio, onde pegaríamos o ônibus e iríamos para um divertidíssimo fim de semana com os nossos “amigos” de escola. Eu mereço.


    Eleanor logo desceu com suas sei lá quantas malas e na hora que fomos entrar no carro, nossos pais começaram aquele papo de nos cuidarmos e tudo mais, bufei a cada palavra e Eleanor também. Charlotte como a responsável do grupo prestou a atenção. Entrei no carro assim que eles disseram “Agora podem ir”. Dei graças a Deus e sentei no banco do carona, ao lado de Eleanor. Charlotte sentou atrás e não parava de falar do quanto estava animada para o acampamento e eu só assentia com a cabeça.


    Quando chegamos à escola, algumas pessoas já se encontravam por lá. Coloquei os óculos escuros, os fones de ouvido do iPod e coloquei no modo aleatório,só iria falar o necessário até chegar ao local do acampamento, até porque eu queria ver a qualidade das pessoas que estariam no mesmo espaço que eu durante aquele fim de semana. Sai do carro de modo que não chamasse muita atenção mais isso seria difícil por causa da besta Eleanor e da Charlotte, bufei quando vi o número de pessoas que viraram para olhar em nossa direção. Nota mental: Lembrar de matar a Eleanor por ter pedido um carro tão chamativo quanto aquele. Senti-me um tanto envergonhada.


    Logo as duas saíram do carro juntas e trazendo consigo suas malas peguei as minhas e coloquei no bagageiro do ônibus. Elas fizeram o mesmo e entramos no ônibus, Charlotte começou seu habitual papo de quem senta na janela e Eleanor entrou na mesma discussão boba, eu revirava os olhos e elas começaram a se bater e eu tive que rir. Elas começaram a falar “sua vadia,você prometeu” e coisas do tipo algumas pessoas riam junto e eu comecei a rir um pouco alto demais atraindo atenções –demais – para mim. Ficamos bastante tempo com aquilo, até que Charlotte resolveu deixar Eleanor sentar na janela e eu sentei entre as duas para não haver mais brigas e nem tapas.


    Aumentei o volume da música, e vi Eleanor e Charlotte colocarem seus fones também, dei um meio sorriso e olhei para frente em busca de procurar alguém conhecido porém, tinham umas criaturas muito cabeçudas na minha frente e eu não pude ver ninguém. Rolei os olhos mais uma vez e pedi mentalmente para que aquela viagem não demorasse muito e eu pudesse logo começar a curtir o fim de semana. Já que eu tinha ido, era bom eu aproveitar, não é?





    soundtrack: they don't know about us;

    tagged: charlotte,eleanor,doug e pessoas \o/;

    notes: no,no.


    avatar
    Kathleen S. Jones
    Líderes de Torcida
    Líderes de Torcida

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 10/02/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 6.500

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Kathleen S. Jones em Qua Nov 07, 2012 9:53 pm


    Acordei primeiro, o que não foi nenhuma surpresa. Minha irmã e minha amiga haviam decidido "roubar" a coleção de vinhos do papai na última noite, portanto eu poderia deduzir que elas estariam com uma ressaca do caramba. Apesar das personalidades distintas, Nyck e Belle agora eram amigas. Talvez por causa que nós três estávamos cercadas por uma mesma ameaça que sabia dos nossos segredos.

    Cutuquei Belle com o pé. Nós havíamos dormido em um grande colchão jogado na sala de estar, ficamos distraídas e acabamos dormindo por lá mesmo. Espero que Camille e meus pais não tenham escutado nossas conversas da última noite, porque todas se resumiam a -A e eu não queria que eles se envolvessem nisso, seria egoísmo demais. Ela murmurou alguma coisa e voltou a enterrar a cara no travesseiro por alguns poucos segundos antes de lembrar que precisava se arrumar para ir pro Acampamento. Chacoalhei o ombro de Nyck e ela fez cara feia.

    - Princesas, hora de levantar. Vou chamar a Cam. - Levante e subi as escadas, fui andando descalça pelo corredor de quartos da casa. O chão estava frio, eu estava enrolada num lençol. O quarto da Cam ficava do lado do quarto dos meus pais, talvez ela escutasse as coisas que a Nyck ouve, se bem que a vida sexual dos meus pais não me interessa. Bati no quarto dela e girei a maçaneta logo em seguida, ela segurava uma blusa preta e deu um pulo ao meu ver. Guardou a blusa na mala e sorriu.

    - Bonjour, Kath. - Ela tinha um sotaque francês bem bonito. Eu dei um sorriso sem graça.

    - Ai, Cam, foi mal, eu não deveria ter abrido a porta sem sua permissão. - Me enrolei com as palavras, mas entrei no quarto dela, fechando a porta atrás de mim. Eu havia ajudado Cam a decorar seu quarto de uma maneira bastante fofa (eu não queria dar indireta do tipo, quarto fofo, quarto de bebê...); aliás, nós duas tínhamos uma relação bastante boa. Ela se dá bem com Nyck e tudo mais, só que sinto que eu e ela somos ainda mais amigas. Não me importo de Cam estar grávida, e acho uma idiotice que os populares a julguem e tratem o Charles como o maioral, sendo que ele tinha feito isso com ela. Tinha que ser irmão da prostituta da Clarisse.

    - Não tem problema nenhum, Kath. - Camille riu baixinho, discreta como sempre. - Já estou pronta. Deveria ter feito isso ontem, tive que acordar cedo, argh! - Ela fez uma careta que me fez rir.

    - Bom, se está tudo bem, vou tomar meu banho e acordar o papai pra nos levar pra escola, okay? - Ela assentiu e eu pisquei para ela. Saí do seu quarto, indo em direção ao meu... Aliás, o meu é o último do corredor. Lá dentro, tudo estava intacto, já que ninguém tinha dormido na cama. Quando durmo eu me movimento muito (sem comentários maliciosos, por favor), ver a cama arrumada pela manhã era quase inacreditável. Meu Blackberry estava jogado sobre ela, tomei-o em minhas mãos para ver as novas mensagens. Algumas eram de Henry, fiquei chateada por não tê-lo respondido na hora.

    O dia lá fora provavelmente estava quente, apesar de o interior da minha casa estar frio. Deduzi isso pela temperatura da água do chuveiro. Mas a sensação era boa, me fez acordar mais rápido, e eu sei que isso pode soar estranho. Enrolada na toalha, fiquei encarando meu guarda-roupa pensando que roupa deveria usar para ir pro Acampamento. Para estar lá, bem, eu já tinha tudo. Peguei uma calça branca e uma blusa florida com manguinhas, penteei meu cabelo e fiquei parecendo uma Barbie velha que minha mãe tinha me dado. Talvez fosse por isso que Nyck me chamasse de Barbie.

    Belle e Nyck já estavam prontas quando eu saí do quarto. Elas estavam na cozinha comendo torradas com Nutella, aquilo fez meu estômago se revirar. Programei a cafeteira para preparar meu café e fui acordar o papai. Ele ficou um pouco chateado, mas era professor lá na escola, então precisava levantar cedo no sábado para me levar pra atividade escolar. Graças aos céus ele não estaria lá no Acampamento. Poxa, eu precisava de um tempo com meu namorado, certo?

    No carro, papai colocou seu disco favorito do Elvis, isso fez com que eu colocasse os fones de ouvido imediatamente. Não demorou muito e chegamos na escola. O ônibus já estava saindo, talvez estivéssemos um pouco atrasadas... Mas não importava, ninguém ia perceber. Menos Henry. Ele sempre percebia. Me agarrou pelo pulso e me beijou antes que eu pudesse reagir.

    - Oi. - Falei rindo, quando consegui respirar. Nós não ficamos juntos por muito tempo, seus amigos estavam chamando por ele, e minha irmã fazia o mesmo comigo. Ficamos em uma das fileiras do meio do ônibus, eu na janela, Belle no meio e Nyck na ponta. Eu esperava que tudo fosse divertido e tal, mas, sem querer, eu tinha uma pontada de pressentimento ruim sobre aquilo.
    avatar
    Thomas Leon Wright
    Esportistas
    Esportistas

    Mensagens : 19
    Data de inscrição : 28/08/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro:

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Thomas Leon Wright em Qua Nov 07, 2012 9:58 pm

    Never feel like this before...
    Desviei os olhos da TV, enquanto terminava de ajeitar minha mala para a viagem. Sim, deixei boa parte da arrumação para o acampamento para a última hora, culpa de quem? Certo, eu poderia estar inventando uma desculpa para minha preguiça agora, mas dessa vez realmente tiveram algumas circunstâncias que atrapalharam para que eu me organizasse antes. Ontem eu tive que cuidar de Anastacia até tarde, já que eu e os meninos revezamos as sextas-feiras com a loira – e o sortudo aqui ficou logo com a noite passada. A propósito, eu tinha que lembrar de comprar alguns pirulitos “grandes e coloridos” na volta, esse tipo de coisa é melhor estocar.
    Terminei de arrumar a mala, fechando seu zíper com brutalidade. Bufei, cansado. Logo minha carona – lê-se: Joshua – apareceria para me levar para a escola, mas eu ainda tinha alguns minutos antes dele chegar. Arrumei a cama rapidamente, apenas para deixar o quarto com aspecto “limpo” enquanto eu estivesse fora, já que ninguém ia arrumá-lo de qualquer modo.
    Ouço o som da campainha ecoar pela casa. “Mason.”, minha mente pensa automaticamente. Me aproximei da janela, enquanto minha atenção se prendia em seu carro.
    Ergui a sobrancelha, ele disse que tinha ganhado um carro novo, mas eu não imaginei que fosse logo um Maserati Spyder, a única pessoa que eu conhecia além dele que tinha esse tipo de carro era a Spencer, a nerd presidente de classe.
    - Exibido...
    “THOMAS, seu amigo chegou.” Escuto a voz da minha mãe no corredor. Revirei os olhos, eu realmente odiava o modo como minha mãe pronunciava meu nome – certo, ela tinha direitos legais sobre mim (por enquanto), mas não precisava parecer um general para seus soldados. Meu consolo era saber que ela tratava meu irmão do mesmo modo.
    Desliguei a TV, que estava passando a reprise do jogo dos Lakers da noite passada e peguei minha mala, descendo as escadas até o primeiro andar, acompanhado de minha mãe.
    - Divirta-se, querido – Minha mãe disse em um tom mais dócil.
    - Pode ter certeza – Pisquei para ela, antes de sair da casa, sem me dar ao trabalho de me despedir de Julian.
    “Adios Bitches.”
    --
    Pegamos Henry em sua casa antes de seguirmos para a escola, mas graças a Deus ele não se demorou – talvez estivesse ansioso para ver sua... Ãhn, namorada? Eu não sabia o grau de seriedade do relacionamento dos dois, mas Henry parecia ansioso para rever a loirinha.
    Mason deixou seu precioso carro no estacionamento da escola, descemos do carro rapidamente. Olhei em volta, observando rapidamente que quase toda a escola estaria presente nessa viagem. Sabe, eu podia reclamar da vida se eu quisesse, mas não podia negar que garota bonita não faltava por aqui.
    Sim, eu me sentia mais em casa do que nunca.
    Decidi colocar minha mala no bagageiro do ônibus, já que eu não estava com vontade de carregá-la durante a viagem e embarquei no ônibus com os garotos em meu encalço. Seguimos para o fundo do ônibus, que por sorte estava vazio e teve espaço para nós três – e ainda tinha uma cadeira vaga da qual Henry espaçoso Bennet se ocupou também, enquanto Josh se sentou na janela.
    Peguei meu celular, pegando os fones e colocando uma playlist qualquer pra tocar, enquanto jogava Angry Birds – desculpa, sociedade, mas poucas coisas conseguiam me distrair (exceto garotas) mais do que um bom joguinho de celular.
    you were so completely torn
    avatar
    Eleanor R. Walkher

    Mensagens : 286
    Data de inscrição : 24/10/2012
    Idade : 22
    Localização : In your mind !

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 3.000

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Eleanor R. Walkher em Qui Nov 08, 2012 1:59 pm



    Oh I just wanna take you anywhere that you like!We can go out any day any night!Baby I’ll take you there, take you there!Baby I’ll take you there!Oh tell me tell me tell me what turns you on on!You can get get anything if you want!Baby just shout it out, shout it out!Baby just shout it out!And if you-ou-ou!You want me too!Let’s make a move!Yeah, so tell me girl if everytime!We to-o-ouch!You get this kind of blush!Baby sing it yeah yeah yeah-eah!yeah yeah yeah-eah!And if you don’t wanna take it slow!And then just wanna take me home!Baby sing yeah yeah yeah-eah!yeah yeah!And let me kiss you!Oh baby baby don’t you know you got what I need!Looking so good from your head to your feet!Come come over here, over here!Come come over here!
    Shut Up & Kiss Me , Now!





    Bom , lá estava eu na daquilo que chamavam de minha casa... Nada contra a minha casa ou minhas irmãs , obvio , o grande problema eram Mason e Danielle Walkher , por que pra eles por mais que eu tentasse nunca chegaria aos pés da querinha Lottie... Mais de algum tempo pra cá as coisas estavam melhorando na relação Pai-Mãe-Filha , não sei muito bem o por que mais estava , eles estavam começando aceitar meu jeito , e pra ser sincera ,esse não é “meu jeito” é era só um jeito de eu me disfarçar de certas coisas ... mais ninguem precisa saber.
    Hoje eu seria livre , sim , mais só por dois dias , infelizmente ...O tão esperado Acampamento de Outono havia chegado , e parecia que ele nunca chegaria! Nunca vi duas semanas passarem tão devagar , não sei se fora só pra mim , mais aposto que assim como eu pelo menos setenta por cento da escola estava daquele jeito .
    No dia anterior , eu e minhas irmãs estávamos no shopping , pra ser sincera acho que não ficamos vinte minutos lá . Foi quando recebi a mensagem de Danielle dizendo que Louise , minha traveca , sim a gente se ama , havia passado por lá para falar que o acampamento tinha sido confirmado para sábado de manha ,tradução obviamente minha mãe me acordaria muito cedo , por que de acordo com ela eu sempre me atraso ,mais eu sei que isso não é verdade , no Maximo me atraso cinco minutos coisa comum sabe?
    Minha mãe havia me acordado cedo , bem cedo por sinal , só lembro dela me chacoalhando “Eleanor , acordo você sempre se atrasa ! Acorda ou eu vou te jogar água!” resmunguei um pouco , me virei na cama , taquei o travesseiro nela , mais levantei , olhei o relogio eram 8:02 da manha e sairiamos de casa as 10 por que ela me acordou tão cedo?
    - MÃE EU TE MATO! SÃO OITO DA MANHÃ!
    - Para de resmungar e vai logo se arrumar Eleanor , suas irmãs não fizeram tanto alarde !E como te conheço você não sabe o que é hora certa !
    - “Você não sabe o que é hora certa!” – resmunguei tentando imitar minha mãe , mais a voz dela não dava muito bem para imitar sabe? – Ok ,ok , você venceu Dona Danielle , você venceu! – gritei pra ela devolta e dei um leve sorriso fechando a porta do quarto – Ok... vamos lá!
    E lá estava eu acertando as ultimas coisas para a viagem a quase quarenta minutos ,separando roupas ,sapatos , coisas pra levar , livros e qualquer outra coisa caso sentisse tédio , é talvez uma atitude estúpida só pra carregar malas pesadas ,mais quem sabe? . As malas estava em cima da cama e as roupas do lado de fora . “Biquine , ok ! Roupas para dias de sol, cadê vocês?Ah ali , ok! Roupa caso esfrie , ok ! Meu pijamas ...vo...você ,ah ali! Ok! E o resto , ok!” falava comigo mesma em pensamento . Peguei as coisas e as guardei dentro da mala , na ordem de roupas intimas ,biquines , pijamas , calças , camisetas , vestidos , shorts , regatas , um touca (caso precisasse) , livros , ipod , iphone , câmera , e outras coisinhas a mais . Fechei e joguei-as de lado . Fui ate o closet pegar alguma troca de roupa descente . Peguei uma das minhas camisetas nova branca estampada de rosa e azul , um short jeans curto de lavagem clara , e um all star verde (sim sou fascinada por all star) e algumas pulseiras . Peguei minha toalha e fui para o banheiro tomar um banho .
    Liguei o chuveiro e tirei a roupa, fui para a frente do espelho e olhei mais uma vez a cicatriz ,aquilo me fazia lembrar pra nunca mais confiar tanto em uma pessoa , e era uma boa coisa , por um lado , dei um pequeno sorriso lembrando do que me aguardava , teria gente nova , garotos novos e lindos ,minhas irmãs , meus ‘amigos’ da sala , e coisa nova ! Entrei em baixo do chuveiro e comecei a me lavar enquanto cantava Swagger Jagger :
    - Swagger jagger, swagger jagger
    You should get some of your own
    Count that money, get your game up
    Get your game up, get ya, get ya, game up
    You can't stop looking at me, staring at me
    Be what I be, you can't stop looking at me
    So get off my face, you can't stop kicking at me
    Whine 'bout me, tweet 'bout me,
    I can't stop, this what gonna be, my swagger's in check
    Get on the floor,
    Get, get, get on the floor
    My swagger's in check
    Get on the floor,
    Get, get, get on the floor
    I got in check

    Escutava Pietra rindo baixinho do quarto dela , eu não estava cantando mau . Não demorei muito e sai do banho para me trocar . Coloquei a toalha em cima da cama e me vesti . Fui ate a penteadeira e passei um rimel e gloos , nada de mais . Sequei o cabelo , e deixei-o solto , peguei o ipod e coloquei os fones e o deixei pendurado no pescoço , coloquei meu óculos e peguei minhas três malas , uma mala grande uma media e uma bolsa de mão , e desci as escadas com a maior tranquilidade . Ao chegar na sala fui muito bem recebia por minha mãe e por minhas irmãs quase me fuzilando com o olhar...
    - Eleanor Marrie Ramone Walkher você sabe que horas são?
    - Nove e meia? – olhei confusa pra ela
    - Não ! são dez para as dez , vocês tem exatos dez minutos para não perderem o acampamento !
    - Droga !
    Exclamei e sai correndo cheguei no carro e coloquei as nossas malas no porta-malas da minha Mercedes conversível prata (sim ela era linda). Abri a porta e entrei e vi minhas irmãs se ajeitarem no carro .
    - Er... Els , você não ta esquecendo de nada? disse Lottie
    - As chaves!
    Sai em disparada para dentro de casa para pegar as chaves da Mercedes , elas estavam na mesinha de centro da sala , peguei-as e fui em direção ao carro , chegando lá pulei dentro do carro , e logo meus pais vieram com aquele blaablablá de sempre mal escutei uma palavra , eles falavam . Logo que acabaram aquele lindo discurso , liguei o carro e pisei no acelerador com tudo , liguei o som do rádio e deixei tocar . Pouco tempo depois chegamos na escola , e como não era novidade todos estavam olhando pra nós ... Isso era muito legal sabe ('-') !
    Logo saímos do carro e fomos colocar as malas no bagageiro do ônibus , assim que acabei de colocar dei um grito , mais não daquele tipo da escola inteira ouvir :
    - A janela é minha !Droga Bitch você prometeu!
    Pietra logo entrou e Charlotte veio atrás , ela começou a gritar comigo para disputar a janela , mais era eu que sentava na janela sempre, depois de algum tempo de discução ate percebermos que todo mundo estava olhando pra gente , nos sentamos , ficamos na seguinte ordem , eu , Pig e Lottie . Estava indo rumo a uma das coisas que seria marcante em minha vida , dei um sorriso leve e bobo , enquanto colocava os fones de ouvido , e olhava para fora do ônibus .

    TAGGED: Pig , Lottie and people! CLOTHES: LookDATE: SOME REALLY NOSTALGIC DATE HERE MUSIC: Kiss You - One Direction
    avatar
    Charlotte R. Walkher

    Mensagens : 249
    Data de inscrição : 24/10/2012
    Idade : 22
    Localização : Em algum lugar, com alguma pessoa, fazendo alguma coisa...

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 2.500

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Charlotte R. Walkher em Qui Nov 08, 2012 4:26 pm






    My love's like a star, yeah

    You can't always see me But you know that I'm always there When you see one shining Take it as mine And remember I'm always near If you see a comet Baby I'm on it Making my way back homeJust follow the glow yeah It won't be long Just know that you're not alone




    Bom, para começar, o shopping foi algo, como posso dizer... Estranho, mas parecia que hoje seria um pouco melhor. Por mais que eu seja descrita por todos com a filha perfeita, queridinha e responsável, As coisas estavam, sei lá, mudando. Se eu estava cansada? Não imagina. Eu só comecei a perceber que a perfeição, não ajuda em absolutamente nada. Enfim. Eu não havia conseguido dormir direito naquela noite, acho eu que era ansiedade, sempre fui do tipo que gosta de acampamentos sabe? Mas eu acho que era a única naquela família, por que minhas irmãs estão com umas caras nada agradáveis. Levantei umas 6hrs, peguei meu iPod e coloquei ‘Who’s That Boy’ para tocar, desci as escadas cantarolando baixo o começo da música “I wanna get you by yourself Yeah, have you to myself I don't need nobody else Don't want nobody else He's special, I know He's smile, it glows He's perfect, it shows Let's go!” Ainda estava usando meu pijama – uma camiseta e uma calça de moletom comum - entrei na cozinha ‘rebolando’ no ritimo da música, e deparei com minha mãe me observando com uma cara de ‘O que significa isso?’ sorri fraca e desliguei o próprio. Cumprimentei com um beijo em sua bochecha, me dirigi à geladeira, peguei os ovos, e fui até o fogão para prepara-los.
    ─ Animada? Ela sorrio me perguntando. Desviei meu olhar por alguns segundos para poder vê-la melhor, e sorri fraco.
    ─Não sei ao certo, acho que vai ser legal, mas sei lá... Mãe, onde está a manteiga? – Disse tentando mudar de assunto, não estava a fim de falar do acampamento. Ela balançou a cabeça e apontou para a geladeira, fui até a mesmo a peguei o pote de manteiga. Danielle saio da cozinha com uma cara não muito animada. Eu apenas ignorei e continuei preparando o café da manhã.

    (...)
    Pronto, o café já foi agora preciso me arrumar, e essa era a parte mais difícil, pelo menos para mim. Abri meu armário, e só via roupas ‘frias’, ótimo, havia me esquecido que não estamos mais em Londres, ponto para a Eleanor, ela estava certa, e eu errada. Revirei-o até o fundo, quando achei umas cinco sacolas jogadas lá. Peguei-as e lá dentro havia varias roupas ‘mais leves’, sorri como um ato de vitória. Em uma das sacolas tinham três blusas xadrez, uma preta e branca, uma vermelha e branca e outra com as cores da bandeira da Inglaterra, azul, vermelho e branco. Peguei a vermelha e joguei em cima de minha cama, colocando as outras dentro da minha mala. Olhei o relógio e já eram 7hrs, peguei um short no armário da Eleanor, meu all star preto e fui para o banho.

    (...)

    Sai do banho, arrumei meu cabelo em uma trança lateral, me vesti e fui terminar de arrumar minhas malas. Revisei minha bagagem umas 500 mil vezes, só para ter certeza de que ia estar tudo lá. “Charlotte, pensa, não falta nada?” Pensei comigo mesmo olhando ao redor do imenso quarto. O relógio já marcavam 7hrs45min, olhei mais uma vez para as malas, e me dei conta de que faltava uma coisa, uma coisa que não podia falta, minha câmera. Abri meu armário a procura dela. Nada; Fui ao quarto dos meus pais. Nada; “Onde essa porcaria foi parar?” Pensei, um pouco alto demais.
    Resumindo, eu revirei a casa toda, e não achava ela. Ótimo, eu não queria tirar foto mesmo. Espera, quem eu quero enganar, Charlotte sem sua câmera, não é Charlotte. Eu necessito dela, tipo assim, NOW! Olhei no relógio – o que tinha virado rotina - e já eram 8hrs em ponto, subi as escadas e me deparei com um Pietra irritada, e uma Eleanor revoltada, claro, acordar cedo, nunca foi a praia delas. Eleanor foi para o banho, assim como Pietra.
    Passaram-se o que? Dois minutos? Sim, dois míseros minutos para Eleanor conseguir consumir a casa com sua cantoria, por que ela consegue cantar tão alto? Eu acho que ela não sabe o significado da palavra “Discreta”. Pietra saiu do banheiro com uma cara do tipo ‘Eu mereço né?’ eu sorri, e desci as escadas. Chegando lá em baixo, encontrou Danielle, segurando, o que eu acho que é minha câmera. Vou em direção a ela, e a pego – lê-se tomo – de suas mãos.
    ─Wow, onde é que ela estava mãe? – Pergunto para ela.
    ─Sua jaqueta preta, você deve ter se esquecido de tirar dela. Vê se toma mais cuidado mocinha. – Ela disse com aquele tom de ‘sermão’, apenas sorri e me joguei – literalmente – no sofá da sala.
    (...)
    Após uns 15min vendo o noticiaria matinal, eu dormi, sim, dormi. O sono decidiu vir, só que na hora errada, e no lugar mais errado ainda. Acordei com o Puzzy – meu cachorro – lambendo meu rosto, que mania irritante essa dele.
    ─ Que nojo Puzzy, você sabe que eu odeio acordar assim! – Eu disse pegando-o no colo. – Vai sentir minha falta, garotão? – Disse apertando suas olheiras. Ele é um cachorro, eu sei, mas eu juro que senti que ele ia chorar. Mas como eu sou um tanto ‘retardada’ eu acho que era coisa da minha cabeça. Coloquei-o no chão, e ele saio correndo ao ver a cachorinha da Eleanor passando ‘Safadinho’ pensei.
    Fiquei mais algum tempo no sofá, até olhar a hora no relógio pelas milésima vez. 9hrs40min, Espera, faltam 15min para as 10hrs? Meu Deus, cadê aquelas duas raparigas que eu chamo de irmã? Ouvi um barulho na escada, e corri com esperanças de ser elas. Era, só que somente uma delas, Pietra. Revirei os olhos. Sim, eu já estava começando a ficar irritada com a Eleanor. Ela não consegue se arrumar em menos de 5 horas não? Pietra me cumprimentou e foi para a cozinha.
    Lá estávamos nós, eu e Pig esperando a cinderela terminar de se arrumar. Meu incrível habito de olhar o relógio de cinco e cinco minutos, se repetia. Já eram exatamente 9hrs50min, faltavam menos de 10min para as 10hrs, e a princesinha ainda não tinha decido. Mas foi pensar nela, que ela apreceu com suas malas, e um leve sorrido no rosto. Eu e Pietra a fuzilamos com o olhar, e ela nada disse.
    ─ Eleanor Marrie Ramone Walkher, você sabe que horas são? – Eu disse com os braços cruzados ao pé da escada.
    ─ Nove e meia? – Ela me responde com sua linda, e doce voz confusa. Reviro os olhos e dou um tapa em seu braço.
    ─ Não! São dez para as dez, vocês têm exatos dez minutos para não perderem o acampamento! – Minha mãe disse meio que nós empurando para fora de casa. Pegamos nossas malas, e nós dirigimos ao carro da Eleanor, a imaculável Mercedes dela. Imaculável? Okay então. Colocamos nossas malas no porta malas, e nós sentamos. Pietra no banco do carona e eu no de trás. Eleanor entrou e se arrumou, colocou o sinto, e arrumou o retrovisor. Olhei com cara de indignação. Como pode ser tão lerda?
    ─Er... Els, você não ta esquecendo de nada? – Eu disse olhando para o ‘buraco’ onde as chaves deveriam ficar. Ela me olhou com a mesma – e comum - cara de confusa.
    ─As Chaves! – Dito isso, ela tirou o cinto de segurando e saio correndo para dentro da casa. Soltei um ‘santa inteligência’ com que fez Pietra rir um pouco.
    Após ela ter voltando, nossos pais vieram com um papo de ‘Tenham responsabilidade e juízo’ e bla bla bla... Foi a conversa mais chata que tivemos, e não teria acabado se eu não tivesse dado um belo corte neles. Okay, saímos, tipo, mega atrasadas em direção ao colégio. No rádio começou a tocar ‘Love is Eazy’, então ficou, eu, Pig cantando e a Eleanor nós fuzilando com o olhar, típico.

    (...)
    Chegamos ao colégio depois de uns 15min, sim, estávamos atrasadas. Eleanor estacionou seu humilde carro, e nós dirigimos ao ônibus. Olhares, olhares, olhares. ARGH! Odeio isso! Olhei ao redor, vi os nossos ‘amigos’ nos observando, e dei uma leve cutucada em Eleanor, que piscou para mim, linda ela né? Colocamos as malas no bagageiro do ônibus, e entramos.
    Eleanor fez questão de dar piti, Pietra já estava puta conosco, então, para irritar mais, eu entrei na brincadeira.
    ─A janela é minha!Droga Bitch você prometeu! – Ela disse é fez biquinho, odiava quando ela fazia isso, era tão... Eu! - Por que será? – Mas eu me rendi, a deixei sentar na janela. Pietra sentou no meio, para evitar ‘novas brigas’ e eu, como era de se esperar, fiquei no corredor. Já disse o quando odeio o corredor? Peguei meu celular, e fiquei olhando umas fotos antigas nele, esperando o tempo passar.


    with: Els, Pig and Peoples; Music: Here Wearing
    Look



    anne ops
    avatar
    -A
    Admin
    Admin

    Mensagens : 29
    Data de inscrição : 02/02/2012

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por -A em Qui Nov 08, 2012 9:53 pm



    Finalmente, o tão esperado acampamento havia chegado. Eu, particularmente, estava morrendo de tédio naquele ônibus, mas eu podia observar as pessoas... Patéticos, como sempre, aqueles adolescentes loucos para chegarem no lugar que eu gostava de chamar de meu cenário dos sonhos... Era tudo exatamente como eu queria que fosse. Claro que eu já tinha ido lá para fazer as medidas e os cálculos do que aconteceria na noite da festa. Sim, eu sabia que ia ter uma festa, afinal, eu sei de tudo.

    Sentei com os nerds excluídos que não tinham amigos em uma das primeiras fileiras. Não me apresentei, não disse nada. Eu tentava sorrir e fingir que nada estava acontecendo. Na verdade, eu sorria porque se tudo ocorresse como eu planejava, não importava se eu fosse para a cadeia. Ter o sangue de... Da pessoa, em minhas mãos, seria épico. Minha vingança seria épica.

    Toda vez que o ônibus chacoalhava os idiotas gritavam "WOOOOOOOOW" e aquilo estava me irritando bastante. Se eu enfiasse uma faca no cérebro deles não seria tão engraçado. Me encolhi no assento, pensei em mandar algumas mensagens, mas não agora. Eu deveria esperar. Fiquei olhando meu celular em minhas mãos, pensando quem seria a primeira vítima. A viagem parecia demorar bem mais do que só uma hora e meia. Quanto mais eu queria que chegasse, mas custava...

    Então a gritaria começou e eu tive que contar cordeirinhos para me controlar. Aquilo só podia significar que havíamos chegado. Eu pude ver a casa grande e cor de rosa, mas eu não iria ficar lá, tinha a minha própria barraca onde poderia organizar as coisas. O ônibus freou bruscamente e eu quase bati a cabeça no assento da frente com isso, o que só aumentou a minha raiva. Desci, tirando minha única mala preta do bagageiro, e olhando em volta a ansiedade das pessoas que estavam ali. O sol brilhava forte, a praia estava linda...

    Mas não para mim.
    avatar
    Jasmine E. Williams

    Mensagens : 200
    Data de inscrição : 25/10/2012
    Idade : 21
    Localização : tua cama,serve?

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro:

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Jasmine E. Williams em Sex Nov 09, 2012 10:25 am







    They don't know about the up all night's.




    Aviagem parecia cada vez mais cansativa, aquele povo todo gritando a cada segundo que o ônibus pulava estava me deixando completamente irritada. Eleanor havia dormido no meu lado e Charlotte parecia entretida demais com o seu celular, não falei com nenhuma das duas depois da “briguinha por lugar” que elas fizeram algum tempo antes.


    Eu peguei o celular e comecei a fuçar as músicas em busca de algo não tão chatinho e repetitivo como As Long As You Love Me. Logo a melodia Chasing the Sun começou e eu comecei a cantarolar mentalmente, o som estava no máximo e eu ainda ouvia a gritaria.
    Só poderia haver um motivo para tudo aquilo: havíamos chegado.


    Olhei por cima do ombro de Eleanor e vi que o ônibus havia parado. Alguns alunos – os sentados logo a frente do ônibus – já estavam descendo e eu tive que cutucar e bater durante alguns minutos no braço de Eleanor para que ela acordasse daquele sono pesadíssimo que ela tem.


    Charlotte me ajudou e só assim conseguimos acordar Eleanor, que mandou um dedo do meio para nós duas quando nos viu amontoadas em cima dela.


    Soltei uma risadinha e Charlotte também. – Garotas, temos que fazer esse fim de semana durar,não quero ter que voltar a olhar para a cara de Danielle tão cedo, entenderam? Eleanor revirou os olhos quando eu disse “Danielle”. É, nós três éramos parecidas no aspecto da pequena –grande– raiva por nossos pais. Apesar do pequeno momento irritante, elas pareciam concordar comigo.


    Seguimos em direção ao corredor e eu me vi esbarrando em alguém que estava logo a minha frente. – Cacete, não olha por onde anda não?! – Perguntei com aparente raiva.


    Sai puxando Eleanor e Charlotte pelos braços e deixando o garoto com cara de taxo um pouco atrás da gente. Dei um sorrisinho vitorioso e fui em direção ao bagageiro do ônibus, peguei as minhas malas e as meninas fizeram o mesmo com as suas. Sem esforço nenhum, podíamos avistar uma casa rosa, que os alunos poderiam ficar se quisessem, mas, onde tem professores nunca tem diversão...


    Eu, Eleanor e Charlotte iríamos montar uma barraca na areia mesmo e dane-se.
    Andamos mais um pouquinho, tipo pouco mesmo e chegamos até uma área da praia onde ficaria bom para montar a barraca onde iríamos ficar.


    As malas estavam pesadas, mas eu não iria deixá-las de qualquer maneira na areia não é mesmo? Eleanor parecia se desdobrar em 10 para conseguir carregar sua inacreditável quantidade de malas. Quando ela chegou perto o suficiente não pude deixar de zoá-la. – Qual a parte de um fim de semana que você não entendeu,Els? –


    Char, que estava ao meu lado, riu um pouco, mas, quando viu a cara de Eleanor logo parou. Ela me fuzilou com o olhar e jogou as malas de qualquer jeito na areia, ela apontou para uma das malas enquanto resmungava algo que eu não conseguia entender. Charlotte abriu a mala e viu aquele treco todo para montar a barraca, fui ajudá-la e Eleanor não mecheu um dedo para nos ajudar. Bufei e a olhei irritada, ela desviou o olhar. Depois de algum tempo tentando entender as instruções, Char e eu conseguimos montar a barraca e fizemos um high-five no fim.


    Rimos uma da cara da outra e Eleanor apenas fez um sinal de “legal” com a mão.


    Sorri para ela, se ela pensa que ia me irritar, está muito enganada.


    Peguei minhas malas que estavam ao lado da barraca em cima de uma canga, com as de Char logo ao lado. Coloquei-as em um canto da grande barraca e Char veio logo em seguida fazendo o mesmo.


    Eleanor batia a areia de suas malas e logo as jogou de qualquer jeito lá dentro. Olhei-a e dei um pequeno sorriso.


    Depois de algum tempo em pé, olhando o mar... Sentei-me em cima da minha canga já estendida na areia e olhei a minha volta, todos estavam arrumando suas coisas e suas barracas. Alguns riam, outros brigavam e eu estava ali. Sem fazer nada.


    Charlotte se sentou ao meu lado e eu coloquei minha cabeça em seu ombro, ela sorriu. Eleanor se sentou do outro lado e eu dei um peteleco em sua cabeça, o que a fez rir. Mas, ela fez o mesmo comigo. O que me fez levantar e dar mais um peteleco nela, ela se levantou também e começamos a correr uma atrás da outra pela areia, como duas crianças. Charlotte ainda estava sentada e ria igual a uma retardada. – Tudo bem,Els! Eu me rendo.


    Disse levantando as mãos em cima da cabeça em sinal de rendição, eu já estava ofegante e ela também. Começamos a rir uma da outra e só faltávamos rolar na areia, as pessoas que já estavam olhando para a gente desde quando começamos a correr, pareciam nos encarar cada vez mais.






    soundtrack: they don't know about us;

    tagged: charlotte,eleanor e pessoas \o/;

    notes: no,no.



    Convidad
    Convidado

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Convidad em Sex Nov 09, 2012 11:16 am




    ❥ M-maybe...



    Por incrível que pareça - e, veja bem, incrível mesmo -, eu consegui dormir bem esta noite. Apesar de as meninas terem feito bastante barulho lá embaixo, e minha cabeça estar empanturrada de pensamentos, minhas pálpebras estavam pesadas demais e eu caí no sono. E sim, as irmãs Jones (ou a Jones e a Underworld), filhas do gentil casal que me acolhera, junto com a amiga Lafont, conseguiam ser barulhentas. Mas eu não as culpava. Elas eram jovens, tinham que se divertir. Não ficaram por aí fazendo filho.

    Acordei com um chute. Eu gemi, sentando na cama e apertando a barriga. Se eu não estivesse grávida de apenas três meses, poderia jurar que a hora tinha chegado. Mas não, era só um drama. Tateei embaixo do meu travesseiro e achei meu celular, cliquei em um dos botões para ver as horas. Eram exatamente sete da manhã. Xinguei em francês, me amaldiçoando por ter levantado tão cedo, mas tinha certeza que não conseguiria dormir novamente. Meu psicológico é estranho, minha cabeça latejaria até que eu me rendesse e desistisse. Além do que minhas malas não estavam prontas.

    - Que droga. - Murmurei, enquanto ia até meu banheiro, escovar os dentes. Passei um pouco de água no rosto e prendi os cabelos, depois eu tomaria o meu banho. Peguei uma mala minúscula no guarda-roupas que a sra. Jones havia comprado para mim e fui tirando algumas roupas. Haveria uma praia lá, pelo que soube, mas eu não podia me dar o luxo de usar um biquíni, não com essa barriga aparecendo e toda a escola me julgando mais ainda. Fui caçando peças que poderiam ser úteis, e demorei bastante para fazer isso. Achei uma blusa preta, de mangas cumpridas, e achei que ela seria útil. Então alguém abriu bruscamente a porta, o que me fez pular de susto. Guardei a blusa na mala e sorri para a loira que entrava no meu quarto.

    - Bonjour, Kath. - Cumprimentei-a. Ela parecia estar sem graça, mas... Bem, a casa é dela, e acho que ela pode entrar onde bem entender. (Tudo bem, eu admito, adorava a minha privacidade na minha antiga casa. Mas eu engravidei e meus pais me chutaram de lá.)

    - Ai, Cam, foi mal, eu não deveria ter abrido a porta sem sua permissão.

    - Não tem problema nenhum, Kath. - Eu ri baixinho com o jeito que ela parecia nervosa. Não haviam motivos para aquilo. Fechei o zíper da minha pequena mala, certa de que todas as roupas já estavam lá dentro. Continuei: - Já estou pronta. Deveria ter feito isso ontem, tive que acordar cedo, argh! - Fiz uma careta e ela riu.

    - Bom, se está tudo bem, vou tomar meu banho e acordar o papai pra nos levar pra escola, okay? - Kathleen piscou e eu assenti com a cabeça. Ela saiu do meu quarto e eu fiz um bico, pensando comigo mesma se seria necessário trancar a porta de agora em diante. Não que eu fosse mal agradecida, já que a garota estava me acolhendo em sua casa. Mas e se eu estivesse apenas usando roupa íntima e de repente ela abrisse a porta enquanto o sr. Jones passava pelo corredor? Seria terrível.

    Tomei um banho bastante breve. Minha barriga, meu filho, ou até eu mesma, estava com fome. Penteei os cabelos, prendendo-os em um rabo de cavalo no alto da cabeça. Sempre tive o costume de usar pouca maquiagem, e fiz isso até mesmo para ir para o acampamento. Coloquei uma saia que vinha até um pouco acima do joelho e uma blusa azul-bebê. Saí do quarto, fechando a porta com cuidado para não fazer a sra. Jones despertar, já que o quarto dos donos da casa é bem ao lado do meu.

    Quando fui tomar o café, as garotas, a amiga e o pai delas estavam prontos. Suspirei, frustrada, e peguei uma barra de cereal de banana e aveia na dispensa. Não seria muito, mas eu havia colocado um pouco de comida na minha bagagem. E eu não ia morrer até chegarmos no local, onde com certeza os professores nos dariam alimento. No carro, fui na janela, olhando a paisagem lá fora e fiquei um pouco desapontada por termos chegado na escola tão cedo. Eu queria poder nunca mais ir naquele lugar novamente. Na hora de entrar no ônibus, as meninas sentaram juntas e as minhas "antigas" amigas me dirigiram um olhar que dizia nós não te queremos aqui, vadia. Engoli em seco e sentei com pessoas que não conhecia.

    Quando começou a gritaria eu tive certeza de que havíamos chegado. Fechei os olhos, com a cabeça doendo. Certamente, meus colegas tinham a capacidade de ser bem idiotas. Desci do ônibus, tirando a minha mala e andando pela trilha que levava até a praia, eu ficaria numa barraca na areia ao lado de onde as meninas iam ficar. Um nerd generoso de ofereceu para montar a minha, já que eu não poderia fazer esforço demais por motivos óbvios. Enquanto o nerd arrumava tudo, eu fiquei olhando o mar na minha frente, até que um casal de pessoas bonitas e louras passou, sem olhar pra mim. Senti meus olhos encherem de lágrimas. Os Domminic. O pai e a tia do meu filho, infelizmente, se é que assim posso dizer. Eu havia prometido a mim mesma que não ia querer a ajuda de Charles pra nada que fosse fazer, pois ele já havia destruído demais a minha vida.

    - Merci. - Eu falei, agradecida, para o garoto que montou minha barraca. Peguei seu queixo e depositei um beijo em sua bochecha, o que fez ele ficar vermelho e sair apressado, mas foi só uma forma de expressar minha gratidão. Entrei na barraca, deixando a entrada aberta, para que eu pudesse observar o mar... E as pessoas correndo feito loucos na água.






    Convidad
    Convidado

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Convidad em Dom Nov 11, 2012 2:33 am





    MADEIRA...MADEIR...MADE...MÁFIA!

    Acampamento de verão - LOOK

    - Hora de acordar,docinho queimado! – Disse uma voz terrivelmente feliz enquanto puxava as cortinas com violência, como se a voz fosse –e era – puro teatro. Se fosse uma pessoa normal eu teria gritado, xingado e expulsado, mas não ele , a voz. Eu sempre conhecia aquela voz e ela meu carma seguir ela até o fim da minha vida. Talvez se eu fingir que estou dormindo, ele vai embora! , Pensei como força e minha cabeça começou a latejar. Merda de adesivos de nicotina! , Eu havia dormido com eles novamente e quando acordava, além do efeito da sobriedade abater a dor de cabeça era algo terrível.

    - Não adianta fingir que está dormindo. Ande, levante sua bastarda de cabeça vermelha! – Repetiu mais grossa a voz enquanto puxava as cobertas com força e as jogou no chão do meu dormitório no abrigo onde eu normalmente ficava e graças a minha periculosidade era um quarto particular. Não gritei como qualquer outro faria, aquilo podia ser o mesmo que assinar o meu atestado de óbito, e com cuidado me virei o encarando por alguns segundos. Para minha surpresa não era meu pai e sim outro homem que nunca vi na vida vestido de gangster com um charuto nos lábios e voz idêntica ao de meu pai, Joseph, só que um pouco mais rouca talvez por fumar pra cacete.

    - Ah, ótimo! O que você quer? Já vou avisando que meu fígado já era!–
    Falei um pouco mais solta, não o conhecia e não tinha cara de ser perigoso. Podia ser mais um da máfia que enganaram ou que quer vingança, mas tinha de me acordar? Por Deus! Sorte que eu havia dormido de roupas! Peguei a primeira muda de roupa que vi e fui em direção ao banheiro enquanto o homem estudava meu quarto e procurava um lugar limpo para sentar. Ótimo, ele é frescurento mas para minha surpresa ele só riu graças ao meu comentário.

    - Haha. Fígado e pulmão ainda inteiro nessa família só nascendo um bastardo. Sabe, achei que você tinha modos com a família, principalmente com os mais velhos. –
    falou o velho se sentando – finalmente! – na minha cama, na única parte que tinha lençol. Eu estava com a boca cheia de espuma graças à pasta de dente e estranhando tal comentário dei um passo para trás e olhei na direção dele tentando estudar a situação.
    - Vovô? – perguntei incrédula
    - Senhor Kerr, ainda não somos amigos e laços de família são frívolos. Eu a mataria se não valesse tanto! – Disse sem se importar e eu dei os ombros, estava acostumada com tais coisas. Voltei ao banheiro para terminar minha higiene pessoal.
    - O que você quer? – Gritei e ele fez um som de uma buzina, como se falasse “ resposta errada” mas que no caso queria dizer “pergunta errada”. Merda, merda, MERDA. Eu sabia o que isso queria dizer. Ele fugiu, ele fugiu,lálálá...Corra, lá lá lá cantava a voz na minha mente que eu tinha o desprazer de chamar consciência às avessa.
    - Para onde eu vou? – Liguei o chuveiro e voltei para o quarto o olhando de cima em baixo esperando a água esquentar e novamente a buzina de pergunta errada e então eu me toquei para o que acontecia ao meu redor.

    (...)
    Fui jogada dentro de um carro sem mais nem menos ao lado de dois brutamontes enquanto a cidade desaparecia ao meu redor após pedirem para eu colocar dentro de uma mochila tudo que eu usaria em três dias, roupas, dinheiro, sapatos, etc. Ótimo, sequestrada pela máfia com um pai maníaco solto pela cidade enquanto eu estou tendo uma crise precisando desesperadamente de um cachimbo, cigarro, cocaína, heroína, álcool ou qualquer coisa do gênero que, claro, não tenho grana para comprar e com a vista grossa da polícia não haveria como fazer meus pequenos furtos. Só relaxe Dizia a voz irritante na minha mente como se esperasse por isso durante tempos e por algum motivo, quando eu comecei a ver as placas de fazendas aparecerem me tranquilizei. Meu querido Vovô só quer me levar para passear com ele para me proteger do meu papai maluco, certo? Errado! Ele quer algo mais. Quando se passa tempo de mais com os Kerr você descobre que tudo tem um preço e no fim, essa carona vai me custar... Um novo nome? Não sei. Mas até lá, eu apenas encostei-me num dos brutamontes (O mais bonito e cheiroso) e dormi, aproveitando-me da situação.

    (...)
    Fui acordada delicadamente por aquele que quando me dei conta, já estava com a cabeça no colo. Oh Graça! O que um homem desse está fazendo na máfia? Ainda meio grogue levantei a cabeça e encarei o portal acima “ Acampamento de Outono” e logo a porta foi aberta sem mais nem menos e nenhum “Divirta-se”. Então é só isso? Acampamento de Outono da escola? Um lugar normal? Qual é! Mais fácil só feijão com batata! Fiquei encarando aquilo por algum tempo até ser praticamente empurrada para fora e uma mochila ser jogada em minha direção e a porta da frente ser aberta saindo meu avô com roupas normais e com um sorriso estranho. Droga, porque os homens da minha família sempre têm sorrisos estranhos e macumbeiros?

    (...)
    Por favor, não me deixe entrar. Não me deixei entra! Minha mente repetia enquanto meu avô e a coordenadora conversavam, o discurso era sempre o mesmo “Perdeu a hora” ou uma história triste? Aposto na história triste. Após um tempo tive permissão para entrar, ele foi embora e logo o acampamento era mostrado e minhas coisas jogada em uma barraca sem eu ao menos saber se teria companheiro e pouco tempo depois finalmente me livrei da tal mulher que toda vez que me olhava parecia estar prestes a chorar. Eu realmente quero saber que história ele contou, porque parece ser das boas mesmo! Não foi ela que até um pouco tempo atrás me chamava de A Bastarda ou A Desiquilibrada? As pessoas mudam com algumas palavras, não?

    O lugar parecia divertido, algumas pessoas corriam e outras apenas se reuniam em grupos para conversar e algo prendeu a minha atenção, era uma lebre branca correndo e pulando atrás de um bando de garotas. Bem, não tinha para se fazer porque não perseguir lebres para a janta? Saí correndo!
    Só que me esqueci de que o lugar era uma descida e quando me dei conta já não podia parar e por mais que tentava desviar das pessoas, que algumas vezes não dava certo, quase no fim eu já estava tropeçando em meus pés e fechei os olhos.

    - MADEIRA! - Gritei antes de me aproximar de um grupo de garotas, não seriam as mesmas que estavam correndo? Não deu tempo de eu perceber, pois logo que vi já estava em cima delas, rolando um pouco e parando poucos metros depois com algumas esfoliações e areia em tudo que é canto.

    - Eu estou bem... Eu estou bem! – Disse baixinho, a voz quase forçada enquanto tentava me levantar com certa dificuldade e quando finalmente me sentei massageando o couro cabeludo.
    - AI MINHA SANTA XURUPINHA DO CABELO ROXO! – Logo o gosto da Bile invadiu minha boca e a dor de cabeça voltou, o que era comum quando se usa três adesivos de nicotina ao invés de um.
    - Vocês estão bem? - Perguntei à todas baixinho enquanto cutucava a que eu, precisamente, havia caído em cima. (Pietra)
    t a n k s b e e c k y ♥ oops,
    avatar
    Kathleen S. Jones
    Líderes de Torcida
    Líderes de Torcida

    Mensagens : 171
    Data de inscrição : 10/02/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 6.500

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Kathleen S. Jones em Dom Nov 11, 2012 3:10 pm


    Que tipo de pessoa inútil e não-pensante esquece de colocar os óculos de sol na bolsa de mão? Sim, essa sou eu, havia deixado na mala, que estava no bagageiro, e teria de enfrentar aquele sol escaldante que estava brilhando lá fora. Olhei pela janela lá fora, o lugar parecia bonito, mas eu não conseguia deixar de lado aquele arrepio na espinha de que alguém poderia estar me observando... Mas é claro que aquilo não era verdade. Ou talvez fosse. Eu era uma líder de torcida. Namorada de um jogador de futebol. Irmã da rockeira Nycolle, que colocava medo sempre que pisava em um lugar com suas botas de salto alto feitas de couro. Melhor amiga da Annabelle, a garota mais, hm, gostosa da escola. Filha do treinador Jones. Filha da policial Jones. A vadiazinha de Nova York...

    Minha consciência pesava por não ter sentado perto de Cam. Aliás, eu nem sabia onde ela estava, mas eu me preocupava, tanto com ela quanto com o bebê. Numa conversa com a minha mãe, ela me contou - e pediu segredo - que os pais da Camille, todos os meses, perguntam como ela está e mandam tipo uma pensão, só que os Payne não querem que a filha volte para eles. Isso é tão errado! Se bem que eu prefiro ficar calada, e quanto ao "errado" eu nada posso dizer. O ônibus estava parando, olhei para Nyck que estava dormindo e puxei seus fones de ouvido. Slipknot estava tão alto que eu não sei como ela conseguira dormir.

    - Vamos, loira? - Belle perguntou para ela, com uma voz divertida. Minha irmã deu um riso sarcástico que era muito típico dela. Eu tentei acompanhar a felicidade de todo mundo ali presente, e acho que consegui. Ia tomar banho de praia, ficar jogada na areia, sei lá, fazer alguma coisa que impedisse o tédio e sensações ruins. Nós pegamos nossas malas e fomos em direção à praia para montar a nossa barraca. Eu não fazia ideia de como montar, mas havia um papelzinho com as instruções. Minha melhor amiga fez o favor de ir no banheiro antes, tirar a roupa e ficar só de biquíni para me ajudar. Ou seja, todo mundo olhava pra gente, ou melhor, pra ela.

    - Você podia deixar isso pra depois, né, Belle. - Eu falei, mas ela deu de ombros, passando o bronzeador nos ombros. - Caramba, depois você faz isso!

    - Tá, tá! - Ela reclamou e veio ajudar a mim e a Nyck. Toda vez que eu falava "Enfia isso aí..." ambas me olhavam como se eu estivesse xingando a mãe de alguém e depois davam um sorriso malicioso que já estava começando a me irritar. Quando terminamos, eu também coloquei o meu biquíni, mas não fui direto para o mar. Fiquei sentada na areia, deixando que ela escapasse por entre os meus dedos. Fiquei me perguntando onde estaria Henry... Meus olhos percorreram tudo ao meu redor e vi três meninas, ou melhor, três irmãs, que aparentavam estar muito felizes. Eram as... Walkher, certo? As meninas britânicas? Nunca tinha falado com elas, apesar de achar que elas eram muito bonitas e tinham um excelente gosto pra moda.

    - Elas parecem legais, não acha? - Perguntei para Nyck. Ela ergueu uma sobrancelha, confusa. - Elas! - Gesticulei para as garotas, tentando ser discreta.
    avatar
    Annabelle Lafont
    Líderes de Torcida
    Líderes de Torcida

    Mensagens : 187
    Data de inscrição : 10/02/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 1.000

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Annabelle Lafont em Qui Nov 15, 2012 7:10 pm


    Acampamento





    Ok Belle, finalmente chegou o tão esperado dia. Não, não tem porra nenhuma a ver com casamento, primeiro apartamento próprio, primeiro carro, essas coisas... Finalmente chegamos no tão falado dia do acampamento, eu estava doida para dormir fora daquela merda de apartamento que todo dia um estranho vai para jantar.... depois da meia noite... se me entendem. Mãe vadia é o que há.
    Minha cabeça doía horrores, não queria abrir o olho... Sim, abrir o olho, eu não tava dormindo de verdade, mas eu tava de olho fechado, o que não muda muita coisa. Sinto um cutucão com um pé e fico meio atordoada, não estava em condição de falar nada no momento então apenas resmungo e respiro fundo voltando para o macio travesseiro. E então, me lembro do acampamento. O acampamento... acampamento. Abro os olhos e levanto a cabeça no mesmo instante, o que me faz ficar um pouco zonza, nada que esperar um pouco não resolva, ok, eu não tinha tempo pra esperar um pouco. Me levanto rápidamente e tropeço em meus próprios pés, ressaca do cacete.
    Olho para o colchão, Nyck ainda dormia, mas Kath sumiu, respiro fundo e me agaixo cotucando a bochecha da Nyck - Acorda Bela Adormecia. - Ela me olha e volta a fechar os olhos, pego a minha roupa na mala e vou tomar uma ducha, estava um calor infernal, e eu estava toda suada, e cheirando a vinho. E meu suor estava roxo, só que não.
    Visto minhas roupas íntimas e coloco meu top da cor mais clara de azul, coloco meu shorts jeans bem curto e por cima minha camisete, amarro-a na altura da cintura e coloco a minha bota marrom. Seco meu cabelo e penteio, escovo meus dentes e passo um rímel básico, saio do banheiro, volto para a sala, Nyck não estava lá, respiro fundo, pego meu óculos e ouço ela me chamar, estava na cozinha preparando torradas com nutella, sinto meu estômago roncando, ai tudo o que eu precisava. Me sento ao lado da mesma e ataco as torradas, olho Nyck e sorrio de leve - Animada? - Logo Kath chega na cozinha, coloca café para ela, me levanto e pego um copo de água gelada, dou outra mordida na torrada e bebo a água.
    ----------------------------------------------------------------------------------------------------------
    Coloco meus óculos de sol ao chegar na escola, o ônibus estava quase saindo, portanto me apresso para entrar no ônibus, pego o assento do meio, os alunos conversavam a toda hora, minha cabeça estava prestes a explodir, Nyck e Kath ficam para trás, por sorte ninguém havia me notado, ainda.
    Depois de poucos instantes Nyck e Kath chegam, eu estava animada pro acampamento, só não sei dizer se a animação é boa ou ruim. Dormi um pouco durante a viagem e permaneci quieta, todo o assunto de -A me deixava com mais dor de cabeça.
    Logo chegamos no acampamento, o lugar ela bonitinho, nada muito moderno, mas pelo menos meu celular estava com um ótimo sinal. Kath puxa os fones de Nyck, dava para ouvir a música de longe, mas não com toda a animação dos alunos - Vamos, loira? - Pergunto para Nyck com um tom de voz divertido, me levanto e arrumo meu óculos de sol, saio do ônibus acompanhada das duas loiras.
    Pegamos nossas malas e seguimos em direção a praia para montar a barraca, mas antes vou para o banheiro com a minha bolsa com roupa de banho e coloco meu biquíni preto e meu chinelo da mesma cor, pego o bronzeador e saio do banheiro, começando a passar nos meus ombros, Kath reclama que todos estavam olhando para nós, digo, para mim, eu já estava acostumada a ser o centro das atenções, Kath diz para deixar a praia depois de montar a barraca, respiro fundo e deixo o bronzeador de lado por um momento, termino de montar a barraca rapidinho com elas, eu já estava acostumada a montar barracas, de quando eu fugia de casa para não ouvir as brigas de meus pais, geralmente eu corria para a praça central, sempre era movimentado lá então eu não tinha medo de ficar sozinha.
    Ao terminar volto a passar o bronzeador, quando uma mão grande tapa os meus olhos e fala no meu ouvido - Advinha quem é... - Rio reconhecendo a voz, era Dave com absoluta certeza, tiro as mãos delicadamente dos meus olhos - Dave! - Advinho enquanto tirava as mãos, me viro para o garoto e logo o abraço - Oi fofo! Chegou em ótima hora, pode passar bronzeador na minha costas? - Olho-o com o típico olhar "por favorzinho", ele só pega o produto da minha mão e afasta meu cabelo, passando o bronzeador em mim terminado agradeço com um beijo no seu rosto, ele fala que precisa voltar para seus amigos, falo um "tudo bem" discontraído, colocando o produto de volta na minha bolsa, volto a colocar o óculos de sol, Kath estava conversando sobre umas meninas com Nyck, não conhecia essas meninas pois elas não estavam nas líderes de torcida, mas já tinha visto elas.





    clothes: Aqui this template was made by petit désir! at
    oops!




    avatar
    Charlotte R. Walkher

    Mensagens : 249
    Data de inscrição : 24/10/2012
    Idade : 22
    Localização : Em algum lugar, com alguma pessoa, fazendo alguma coisa...

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 2.500

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Charlotte R. Walkher em Qui Nov 15, 2012 9:42 pm






    My love's like a star, yeah

    You can't always see me But you know that I'm always there When you see one shining Take it as mine And remember I'm always near If you see a comet Baby I'm on it Making my way back homeJust follow the glow yeah It won't be long Just know that you're not alone



    A vigem até o local onde séria o acampamento, foi um verdadeiro tédio. Eu cheguei a pensar que as meninas estavam com raiva de mim. Eleanor não me cutucou, questionou ou dirigiu a palavra para mim, o caminho todo. O mesmo de Pietra, que ficou a viagem todo quieta ao meu lado. Olhei algumas vezes para trás, podia ver três garotos – bonitos por sinal – e quatro meninas, duas loiras e duas morenas. Voltei minha atenção para o celular, nem eu sabia o que tanto via naquele aparelho, não tinha nenhum amigo para ligar ou trocar mensagens. Eu só ficava encarando ela, a viagem toda. Decidi que iria ouvir música, e lá fui eu. Mas tenho a leve impressão de que Píetra teve essa mesma ideia, já que começou a se mexer do meu lado. Irritante. Coloquei meus fones, e comecei a procurar alguma música boa. Começou a tocar ‘Cherry Bomb’ eu simplesmente pirava nessa música, ela era tão, sei lá, vibrante. Permaneci por mais algum tempo ouvindo música, até que a ‘gritaria’ aumentou. “Não estamos em um jogo para eles gritarem tanto” pensei. Olhei para o lado, e percebi o real motivo dessa gritaria, havíamos chegado. Eleanor havia dormido ‘Por isso não me infernizou’ pensei. Pietra foi com toda sua delicadeza – a qual ela não tinha – acordar a bela adormecida. Ela cutucou, bateu, xingou, fez de tudo, mas a coisa não acordava. Comecei a rir, era uma cena cômica. Pietra quase que em cima de Eleanor, e a própria babando. Levantei e fui ajudar a acordar a ‘princesinha’. Parei em sua frente, e dei um grito não muito alto – alto o suficiente para acordar ela – Eleanor se arrumou na cadeira, e nós mostrou seu lindo dedo do meio, eu e Pietra simplesmente rimos com o estado em que ela estava: Cabelo bagunçado, batom borrado e roupa amassada, cômico.
    Pegamos algumas coisas que estavam jogadas por nossos bancos, Pietra parou nós olhou com uma expressão não muito identificada, e sorrio.
    – Garotas, temos que fazer esse fim de semana durar,não quero ter que voltar a olhar para a cara de Danielle tão cedo, entenderam? – Olhei para Eleanor que revirou os olhos ao ouvir o ‘Danielle’, fechei meus olhos e respirei fundo, por mais que eu goste de meus pais, tinha que concordar, que desde que viemos para Rosewood, eles andam muito, mas muito chatos mesmo. Dei um leve sorriso, o que deu a entender que havia concordado com a mesma. Seguimos pelo corredor do ônibus em silencio, Pietra esbarrou em alguém não vi quem era ao certo, mas enfim. Ela pirou, como era de se esperar. Falou mal a tal pessoa, e saiu nos puxando, olhei para Eleanor, suspirei e disse baixo para só que a mesma pudesse ouvir – Bela primeira impressão... – Ela sorriu um pouco e Pig olhou para trás, nós sorrimos, fingindo que nada havia ocorrido típico. Saímos do ônibus e fomos em direção ao bagageiro. Peguei minha pequena – grande – mala, e fiquei esperando as duas. Eu já disse que a Eleanor me irrita? Pois é, ela trouxe duas malas, não pequenas, grandes. Revirei os olhos, e fiquei encarando ela. – Só me diz o que pretende fazer com tanta coisa? São apenas três dias Eleanor! – Ela revirou os olhos, e Pietra sorriu. Começamos a andar meio sem rumo, somente seguindo o ‘fluxo’ de pessoas. Ao longe se via uma casa rosa, os professores e alguns alunos iam ficar por lá. Eleanor deu um pequeno surto, quando nós viramos na direção contraria da casa. Era muito dela esse lance, ela odeia, mas do que tudo, acampamento. Eu ainda não sei o que ela veio fazer aqui, mas ok.
    Ficamos andando por alguns minutos, até que começou a cansar, olhei com cara de choro para Pietra, e sorrio. Paremos na praia, íamos montar a barraca lá mesmo, e dane-se o resto. Não queria deixar minhas coisas na areia, mas estava meio cansativo ficar segurando ela na mão. Olhei para Eleanor, que vinha um pouco atrás com suas humildes malas. Revirei os olhos, e olhei para Pietra.
    – Qual a parte de um fim de semana que você não entendeu Els? – Ela disse dando ênfase no ‘um’ eu comecei a rir, mas após ver a cara de Eleanor parei na hora, ela olhou para nós com um olhar que parecia mais ‘eu ainda mato vocês’, e apontou para uma de suas malas. Sorri fraco e fui até a mesma abrindo-a e vendo os ‘equipamentos’ para montarmos a barraca. Pietra veio logo me ajudar. Nós dividimos em 15 para montar a barraca. E Eleanor? Há sim, ela não fez nada, apenas sento em cima de minha mala, e ficou observando, enquanto eu e a Pietra nos matamos para montar aquele treco. Depois de muito custo, entendemos o que era para fazer e conseguimos montar. Levantamos vitoriosas e fizemos um high-five no final. Ficamos rindo uma da cara da outra, feito duas idiotas, pude ver Eleanor revirou os olhos e fez um ‘legal’ com a mão, mostrei a língua para ela.
    Vi Pietra pegando suas malas que estavam junto as minhas em minhas cima de uma canga e entrar na grande barraca. Sorri e me aproximei de Eleanor que deu um sorriso mais sínico do que o de Danielle – Sai daí gorda, preciso pegar minhas malas – Ela revirou os olhos – pelas milésima vez – e se levantou me mostrando a língua, mostrei o dedo do meio para ela. Parecia que tínhamos trocado de papel, mas ok. Entrei na barraca e coloquei minha mala ao lado da de Pietra, aguardando Eleanor entrar com as dela. Pietra foi para fora, e eu fiquei encarando o teto da barraca, Logo Eleanor entrou e jogou as suas de qualquer jeito perto das nossas, olhei meio irritada para ela, que sorriu e me puxou para fora. – Calma gatinha, os meninos não vão fugir, respira um pouco. – Eu disse sento levada por ela. Ela parou, me olhou e começou a rir do meu comentário idiota. – Eu sei, foi péssimo né? –Ela somente afirmou com a cabeça, e me deu um tapa, revidei, e ela puxou meu cabelo. – Ei, voltou a ser criança agora? O cabelo não pode já te disse. E outra coisa... Ai! – Eu disse passando a mão em meu cabelo, Ela sorriu e me puxou pelo pulso, olhamos ao longe e vimos Pietra sentada. Soltei-me de Eleanor, e sentei ao seu lado, Ela deitou a cabeça em meu ombro, eu olhei pelo canto do olho e sorri. Mas em menos de dois segundos, ela provocou Eleanor que se sentou ao seu lado. Então começou, as duas se bateram, e eu comecei a rir feito uma idiota. Era engraço ver elas assim. Eu gostava.
    – Tudo bem, Els! Eu me rendo. – Pietra disse, depois de alguns tapas. Eleanor deu pulinhos e gritou um ‘Há, eu venci’ e eu só fiquei observando as duas. Levantei dando um tapa em sua cabeça. – Esta com você! – Gritei, elas riram e começamos a correr, atraindo muitos olhares, o que era de se esperar.




    with: Els, Pig and Peoples; Music: Here Wearing
    Look



    anne ops
    avatar
    Joshua N. Mason
    Rosewood Sharks
    Rosewood Sharks

    Mensagens : 91
    Data de inscrição : 11/06/2012
    Idade : 22
    Localização : Numa mesa de bar qn

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Joshua N. Mason em Seg Nov 19, 2012 6:22 pm







    fuck the police






    Os guris do time de futebol são idiotas. Foram os otários que ficaram atrás da gente, que não calavam a boca e gritavam a cada vez que o ônibus entrava em um buraco ou pulava por uma lombada. Eu ria, mas estava com vontade de chutar o que eles tinham entre as pernas. Dei pause no telefone enquanto a música Twist N Shout tocava. Leon estava dormindo do meu lado, a baba escorrendo pela bochecha enquanto o aplicativo do Angry Birds desaparecia com o bloqueio da tela por conta da falta de ações. Eu dei um peteleco na testa dele, o fazendo acordar e chamar minha mãe de coisas feias. Henry já estava de pé, claro, não via a hora de se levantar e se agarrar com a loirinha.

    Depois dizem que o safado sou eu. Certo.

    Com a mochila nas costas, fui pegar a minha mala no bagageiro. Lá dentro tinha pouca coisa, só algumas mudas de roupa, o que ocupava espaço era a barraca que EU havia comprado para dividir com os garotos. Não que fôssemos gays ou coisa do tipo... Mas era isso ou era dormir no colchão duro da casa dos professores. Além do que, arre, professores são chatos e cortariam o meu barato. Dormir na areia é bem mais confortável. Mas, sinceramente, eu estava torcendo muito pra que não dormisse nesse Acampamento.


    Uns caras e umas meninas estavam montando suas barracas antes de irem pra praia curtir. Acho que a gente devia fazer a mesma coisa. O sol estava queimando a minha cara, mas eu não queria passar protetor e ficar todo melecado. Larguei a mala na areia, jogando minha mochila sobre ela. Leon parecia estar necessitando urgente da água do mar, sua cara era de um bêbado com sono. Henry queria ir ver sua namorada. Eu não tenho namorada, isso é injusto.

    - Como eu comprei a barraca com o meu dinheiro, vocês montam enquanto eu vou dar um rolé. - Eu falei, rindo.

    - Claro, Mason, claro. - Henry revirou os olhos. Tirou a minha mochila de cima da minha mala e a jogou em mim. Eu a apanhei, dando um passo para trás com o impulso de senti-la sendo chocada contra meu peito. Henry tirou a barraca de dentro e começou a montar, olhou para mim e pro Leon, pedindo ajuda.

    - Você não sabe nem colocar esse troço dentro dela... - Disse eu enquanto revirava os olhos para Henry, enquanto ele a montava. Eu não me toquei do quanto aquilo soava malicioso. Eles riram.

    - Eu devo estar com sono pra rir de suas piadas escrotas. - Leon falou. Eu mostrei o dedo do meio pra ele.

    - Minhas piadas são ótimas, seu invejoso. - Olhei para Henry, que parecia ter terminado o trabalho. - Espero que isso não caia enquanto eu durmo.

    Deixei que minha mochila ficasse jogada na areia. Não tinha nada valioso, só meu celular, e se alguém roubasse eu poderia comprar outro. Tirei a camisa e ajeitei os óculos de sol, pois era quase impossível de se enxergar. Larguei a camisa por ali mesmo e fui andando pela areia quente. Já podia enxergar o mar quando ouvi alguns gritos que me assustaram. Olhei em volta quando alguém se chocou contra mim e quase caiu. Alguém, bem... Com pernas bonitas e cabelos castanho-avermelhados. Não me julgue, foi tudo o que consegui ver. A segurei antes que o pior acontecesse.

    - Cuidado, pequena, ou pode se machucar.



    forum ops - KAGUYA HIME
    avatar
    Henry Bennet
    Esportistas
    Esportistas

    Mensagens : 24
    Data de inscrição : 03/09/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro:

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Henry Bennet em Seg Nov 19, 2012 8:55 pm

    Meu relógio desperta, era 8:00h em ponto, hora de arrumar as malas e me arrumar para o acampamento, eu era organizado, mas nem sempre, meu namoro com a Kath acabou me atrapalhando todo, mas não importa. Nove e quarenta e cinco e eu já estava pronto, esperando pela chegada de Josh e Leon, não demora muito e uma buzina soa na porta da frente, dou um beijo no rosto de minha mãe - Até mais, mãe. - Saio com minha mala e coloco-a no porta malas, tomando o maior cuidado do mundo, eu fiquei encarregado de levar as bebidas alcólicas, ninguém sabe, mas saqueei o barzinho particular de meu pai. Me espremo no carro cumprimentando Leon e Josh sorrindo.
    Chegamos na escola rápido, coloco minha mala já dentro do ônibus, e fico olhando em volta a procura de Kathleen, mesmo estando com meus amigos eu não estava, ficava olhando toda hora a procura dela, cumprimentava alguns colegas com um sorriso. Meus olhos encontram um cabelo dourado, sorrio e ando rápido até a garota, pego-a pelo pulso e a puxo para um beijo.
    - Oi loira! - Sorrio soltando seu pulso, provavelmente nunca estivera tão apaixonado em tempos. Ouço meus amigos chamarem por mim - Nos vemos mais tarde, linda. - Sorrio e pisco para ela, vou correndo para dentro do ônibus acompanhado de Josh e Leon, sentamos no fundo, onde era mais confortável.
    O tempo passa voando porque eu estava observando a bagunça dos meninos do meu time, eu ria com eles mas não gritava nem nada do tipo, não queria ficar rouco sem antes cantar em volta de uma fogueira. Quando o ônibus começa a parar já me levanto, certo, mais animado que eu? Ninguém. Pegamos nossas malas e seguimos direto para a praia, Josh diz que é para eu e Leon montarmos sozinho, idiota, reviro os olhos ao dizer - Claro, Mason, claro. - Pego a mochila que estava em cima da mala de Josh e taco nele, pego a barraca de dentro da mala e começo a montar, olho para os dois esperando alguém me ajudar.Ouço Josh dizer algo sobre saber colocar dentro dela e rio alto maliciando tudo, como sempre.
    Termino de montar a barraca sozinho, olhava ao redor procurando novamente a garota loira, não acho-a em lugar nenhum, procuro Annabelle, e lá estava ela, na barraca vizinha da minha vizinha, perfeito, só uma barraca distanciando eu e Kathleen. Sorrio vou até Belle - Cadê a Kath? - Ela me responde sorrindo de canto, nem sempre ela era assim - Foi no banheiro se trocar, quer ir lá com ela? - Ela dá uma risada maliciosa, penso um pouco a respeito mas prefiro deixar isso de lado, rio de leve - Quem sabe mais tarde Belle - Me sento ao lado dela pedindo permissão, iria esperar a loira sair do banheiro antes de fazer qualquer coisa olho para a praia alguns garotos já estavam "brincando" no mar, típico.
    avatar
    Morgana Bergmann
    Rosewood Sharks
    Rosewood Sharks

    Mensagens : 36
    Data de inscrição : 30/08/2012
    Idade : 22
    Localização : Rosewood baby ù.ú

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 3.500

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Morgana Bergmann em Ter Nov 20, 2012 1:48 pm

    I came here tonight...

    Bom,o que dizer sobre a ideia de ir a um acampamento...QUE IDEIA HORRÍVEL,aliás por que eu estava ali mesmo ?A é,pois é,tu começou noite passada,meu pai dizia que seria uma experiência boa para mim fazer isso,eu não diria o mesmo,não sou "muito chegada" a dormir perto do mato,rodeada de bicho e de mosquitos que não arrancam sangue e sim um grande pedaço da nossa pele,eu com toda a certeza e com o "meu jeito de ser" nem de longe me dava bem com o que tinha por lá,mas enfim,contra a minha própria vontade lá estava eu acordando as 6:30 da manhã,mas,por que tão cedo ?Te digo o porque,para por essa garota em pé para ser que ela realmente é,bom,é necessário acordar mais cedo,mas como eu fui dormir muito,muito tarde,aí estamos,isso ainda fora que eu precisava de arrumar as "big malas",bom,eu me arrumei toda,um recorde,8:30 eu já tava pronta para ir,mas ainda faltava a danada das malas,bom,consegui e só levou 1 hora,na boa,eu tava de mais,e lá vou atrapalhar o sono do meu pai mais ainda com os barulhos arrumando tudo.Ele me deixa na porta da escola com aquelas malas todas,braços fortes Morgana e lá estava eu levando tudo até o ônibus,mas o motorista me ajudou,na real achei que os braços daquele coitado iriam se quebrar ali.Entro dentro daquele ônibus com uma cara de "comeu e não gostou" e é claro sentei perto "De Lo Fundão".Só estava com o celular para me entreter,não me socializava "muito",era mais na minha,quando chegamos eu já abro a cara de nojo de novo e espero todos saírem daquele ônibus para só depois eu me levantar e sair dali,quando saio dali parecia que todos estavam "bem animadinhos",será que só eu que achei uma má ideia.Pego meus malões e lá vou-me montar a droga de barraca,e se dali surgisse um urso pra me comer,bem,será que ursos comem gente ?!Bom,ali mal dava sinal mais consegui pegar uns "4 palzinhos" para pegar um vídeo tutorial de como se montar uma barraca,depois de muito custo,suor e duas unhas quebradas tava montada ali a porcaria da barraca...Nem quero saber se tava boa ou não,deu trabalho e podia surgir um super mega hotel do chão,do nada,que eu não ia nem a pau,deu esforço de mais para eu jogar tudo aos ventos e...Na verdade e pensando melhor,ÓBVIO que eu iria,mas enfim,na maioria das vezes os sonhos são impossiveis,a barraca até que era grande,ainda bem que eu não dividir aquilo com ninguém,a vista para a praia era linda,não mais linda que a vista do espelho nem se acha.Eu resolvo sair de biquini,com uma toalha,com um bronzeador nas mãos e é claro com uma bolsa com "algumas coisas",jogo a toalha sobre a areia e me deito de bruços e coloco um óculos escuro relaxando e sentindo o calor do sol com o vento.

    your lucky night
    avatar
    Danniel Humphrey Price
    Esportistas
    Esportistas

    Mensagens : 27
    Data de inscrição : 20/07/2012
    Idade : 23
    Localização : Rosewood

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro: 4.500

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Danniel Humphrey Price em Ter Nov 27, 2012 7:05 pm


    Chego no local onde iria ocorrer o acampamento, estava usando uma bermuda jeans e uma blusa de gola larga e mangas apertadas azul marinho e um tênis da nike estilo atlético e um óculos escuro, vou caminhando lentamento em direção a minha barraca enquanto admiro a natureza e respiro o ar puro do local, não haviam provas para quebrar a cabeça, trabalhas para preparar ou pais para nos atormentar, eram apenas amigos da escola curtindo um final de semana juntos, sem problemas acontecendo como é de costume, sem nenhum tipo de garota controladora e numero um da cadeia alimentar para me colocar para baixo, depois de colocar as minhas coisas na barraca, vou para o local onde estavam as outras pessoas, mas não falo com ninguém fico esperando ver o que estava pra acontecer ou se iriamos fazer algum tipo de atividade, mas o que eu estava esperando mesmo era pela se assim posso dizer confraternização particular que iria rolar pela noite, regada a muita bebida e pegação.


    Convidad
    Convidado

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Convidad em Dom Dez 02, 2012 1:17 pm

    Finalmente chego até o acampamento, logo ao chegar observo e por ser minha primeira vez lá procuro analisa-lo bastante, e realmente era um belo lugar, um local para se relaxar e curtir com as outras pessoas antes que a vida volte a normalidade outra vez.

    Procuro uma barraca, aquela que vou ficar, chago arrumo minhas coisas, troco a roupa que estava por algo mais leve e saio pra ir falar com o pessoal, me aproximando vejo Danny um pouco a frente no que parecia estar esperando pelo pessoal, olho para ele e aceno indo em sua direção.

    NUNCA USE ESSE CÓDIGO DE ROLAGEM PARA POSTS PELO AMOR DE DEUS!!!!!!!!!!!! BY: HANNY ;*
    avatar
    -A
    Admin
    Admin

    Mensagens : 29
    Data de inscrição : 02/02/2012

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por -A em Qua Dez 05, 2012 3:23 pm



    Alguns continuavam na praia. Outros, na verdade, outras -as garotas apressadas- corriam de um lado para o outro com suas máscaras, se preparando para a festa. A festa... A festa. Só de pensar, eu dava um sorriso de canto, expressando tudo o que se passava na minha cabeça. A ansiedade era grande para mim também, apesar de eu não demonstrar. Precisava ficar em silêncio, ou os planos seriam estragados.

    Resolvi sair de minha barraca, com o celular em mãos. Observei um pouco. Nada parecia servir como alvo agora. Talvez na festa... Eu esperava que sim. De qualquer forma, se esse acampamento fosse um tédio, as mortes ocorreriam mais rápido. Alguns professores e organizadores pareciam entediados. Por favor, até eu estava sentindo isso.

    - Porque só tem gente idiota aqui. É por isso que está tão chato. Não sabem se divertir como eu. - Murmurei para mim. Quem sabe se eu não envolvesse algumas bebidas e cigarros as coisas não esquentassem.

    >> a postagem da jogadora Nycolle está sendo exigida para a continuação da trama
    avatar
    Aria Montgomery
    Rank Aria
    Rank Aria

    Mensagens : 262
    Data de inscrição : 26/01/2012

    Ficha do personagem
    Itens Comprados no Shopping:
    Dinheiro:

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Aria Montgomery em Sex Dez 28, 2012 8:58 pm

    ACAMPAMENTO CANCELADO POR FALTA DE MOVIMENTO. OBRIGADA A QUEM POSTOU E PRA QUEM NÃO POSTOU: SEUS FILHOS VÃO SER FUNKEIROS. NÃO VOU REVELAR A IDENTIDADE DE -A POIS ELA CONTINUA A MESMA PRA TRAMA GERAL DO FÓRUM
    xoxo Aria


    ● ● ● ● ● ● ● ● ● ● ●


    aria montgomery
    admin -- tramp -- love mah bitches xx

    Conteúdo patrocinado

    Re: - Trama: Acampamento de Outono -

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Nov 18, 2017 12:53 pm